Alckmin é eleito presidente do PSDB e diz que Lula será condenado nas urnas – Notícias – Brasília – Nominuto.com

Alckmin é eleito presidente do PSDB e diz que Lula será condenado nas urnas – Notícias – Brasília – Nominuto.com

Com 470 votos, o PSDB elegeu a chapa Unidade para o diretório
nacional do partido. Foram registrados três votos contrários e uma
abstenção. O presidente do partido será o governador de São Paulo,
Geraldo Alckmin. O primeiro vice-presidente, que assume na ausência de
Alckmin, é o governador de Goiás, Marconi Perillo. O segundo
vice-presidente é o líder do PSDB na Câmara, Ricardo Tripoli.

Em seu discurso, Alckmin disse que o partido tem compromisso com
reformas “que darão condições para o Brasil voltar a crescer”, citando a
mudança na legislação tributária. O governador também classificou a
atuação do PSDB como uma “obra inacabada” no País.

“Passou a hora de tirar o peso desse Estado ineficiente fas
costas dos trabalhadores”, disse Alckmin, que também defendeu
concessões, parcerias público-privadas e investimento em infraestrutura
para geração do emprego.

O governador também usou o discurso para fazer duras críticas ao
ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, pré-candidato do PT à
Presidência, e culpou o partido adversário por uma “década perdida” na
economia . 

“Lula será condenado nas urnas pela maior recessão da nossa
história”, disse Alckmin, para quem os eleitores estão “vacinados”
contra propostas do PT. “Fiquem certos que nós os derrotaremos nas
urnas”, disse sobre os petistas. “Lula quebrou o Brasil e quer voltar ao
poder; ele quer voltar à cena do crime.”

Executiva. Também são vice-presidentes os
senadores Paulo Bauer (SC) e Flexa Ribeiro (PA), o governador do Paraná,
Beto Richa, os deputados federais Shéridan Oliveira (RR) e Carlos
Sampaio (SP), e o ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes. O
secretário-geral será o deputado Marcus Pestana (MG).

A Executiva Nacional do PSDB será composta pelos senadores
Eduardo Amorim (SE) e Cássio Cunha Lima (PB); os prefeitos de São Paulo,
João Doria, de Porto Alegre, Nelson Marchezan, de Teresina, Firmino
Filho, e de Manaus, Arthur Virgílio; os deputados federais Giuseppe
Vecci (GO), Rogério Marinho (RN) e Bruno Araújo (PE); e o governador
Pedro Taques (MT). Também farão parte da Executiva os líderes do PSDB no
Senado, Paulo Bauer (SC), e na Câmara, Ricardo Tripoli (SP).