Estudo destaca a importância de dieta balanceada na prevenção da osteoporose – Agora RN

Estudo destaca a importância de dieta balanceada na prevenção da osteoporose – Agora RN

Uma dieta alimentar adequada pode fazer a grande diferença para a saúde dos seus ossos e influenciar na sua capacidade de viver uma vida plena, saudável e livre de fraturas. Essa é a principal conclusão do estudo científico publicado pelos principais especialistas em saúde óssea e nutrição no jornal Osteoporosis International.

As doenças relacionadas ao envelhecimento encarecem os sistemas de saúde em todo o mundo. ?Este estudo demonstra como podemos alcançar o máximo do potencial de uma alimentação saudável para prevenir o surgimento da osteoporose ao longo da vida ?, afirma o reumatologista e professor Cristiano Zerbini, membro do Conselho da Fundação Internacional de Osteoporose e diretor do Centro Paulista de Investigações Clínicas e Coordenador do Núcleo de Reumatologia do Hospital Sírio-Libanês.

Para Cyrus Cooper, professor e presidente do Comitê de Assessores Científicos da Fundação Internacional de Osteoporose (IOF), dietas saudáveis e níveis adequados de vitamina D estão associados ao aumento da massa óssea no bebê. ?O estudo demonstra o papel fundamental da nutrição no desenvolvimento de um esqueleto saudável mesmo antes do nascimento?, acrescenta.

O estudo destaca a importância da ingestão adequada de cálcio, vitamina D , proteínas e nutrientes traz as últimas evidências relativas às necessidades nutricionais de mães para o desenvolvimento e manutenção de uma estrutura óssea saudável para mães, crianças, adultos e idosos, entre eles:

A alimentação pobre em nutrientes é preocupante principalmente entre as crianças. O leite e produtos lácteos são as principais fontes de cálcio. Porém, nas últimas décadas, a diminuição do consumo de leite foi constatada em todo o mundo. Já a insuficiência de vitamina D é generalizada entre os jovens o que levou a recomendações para suplementos de vitamina D para lactentes, crianças e jovens em vários países.

Em adultos e idosos, a ingestão de cálcio é inferior aos níveis recomendados. Os baixos níveis de vitamina D atingem a população mundial, incluindo a América Latina. O estilo de vida, os níveis de massa corporal , o tabagismo e consumo excessivo de álcool podem aumentar as chances de fratura óssea para um número substancial de pessoas.