Com mudanças no secretariado, ?PSDB entra 100% no governo Robinson?, diz analista – Agora RN

Com mudanças no secretariado, ?PSDB entra 100% no governo Robinson?, diz analista – Agora RN

As da administração anunciadas pelo Governo do Estado nesta quinta-feira, 7, representam, na opinião do cientista político Daniel Menezes, um “alinhamento” maior entre o governador Robinson Faria e lideranças do PSDB que não ocupavam espaços até então na gestão.

Segundo o analista, o anúncio de Eduardo Machado para o Departamento Estadual de Trânsito (Detran) é um exemplo do movimento do governo para ?trazer o aliado mais para dentro de casa?. Até então, afirma Daniel Menezes, apenas parte do PSDB ? a ligada ao presidente da Assembleia Legislativa, Ezequiel Ferreira ? estava mais alinhada com o governo estadual.

?Ele [Eduardo Machado] é ligado ao deputado Gustavo Carvalho. Então, se existia uma certa divisão dentro do PSDB estadual, me parece que ela não existe mais. O que vínhamos assistindo até então era uma separação entre o grupo de Ezequiel Ferreira [mais ligado a Robinson] e outros grupos que se distanciavam do governo, como o de Gustavo Carvalho e o do deputado federal Rogério Marinho?, opina Menezes.

De acordo com o cientista política, a aproximação significa um ponto de fortalecimento político do governo. Atualmente, o PSDB detém a maior bancada da Assembleia Legislativa, com cinco deputados, incluindo o presidente, Ezequiel Ferreira.

Além disso, Daniel Menezes analisa que as mudanças anunciadas nesta quinta denotam maior participação do deputado federal Fábio Faria (PSD), filho do governador, na administração estadual. A nova secretária de Relações Institucionais, Estella Dantas, é ligada ao parlamentar.

OBJETO DE DISPUTA

Entre as mudanças anunciadas pelo Governo, a troca no comando da Secretaria do Trabalho, Habitação e Assistência Social (Sethas) chamou a atenção do analista. A primeira-dama Julianne Faria foi substituída por Vágner Araújo, que, apesar disso, continuará na coordenação do programa Governo Cidadão. A permanência do secretário no cargo, contudo, segundo Daniel Menezes, deverá ser temporária.

?Acredito que a Sethas passará a ser objeto de disputa entre os partidos da base do governador. Eu acho improvável que Vágner Araújo permaneça por muito tempo, porque ele ficará no comando de duas pastas ?pesadas?. Na prática, essa secretaria deverá ser encaminhada para algum partido da base, pode ser até o PSD.